Edio: 11967 Data: 23/03/2017

Editorial - Artigos

Assuma por completo quem você é! (Sílvio Lopes Peres)

23/03/2017

Sílvio Lopes Peres


 


 Se você não consegue manter e defender as exigências da família, empresa, Igreja, Estado e sociedade em geral não julgue-se inferior, mas também, não se considere superior aos que se adaptaram e se conformaram a elas.


Quer dizer, ao decidir não abrir mão dos valores pessoais que percebe que lhe trazem maior sentido de vida, garantem um destino mais seguro e complementam a sua personalidade você precisa saber que a sua atuação provoca efeitos inconscientes nas pessoas que estão próximas. Neste sentido, aumenta o seu nível de responsabilidade, pois você terá de atender às demandas que a sua retirada do plano coletivo provoca.


Perceba que você não foi apenas atingido em seu ego, mas está numa problemática de maior tamanho. Ser sensível a esta situação exige: reorientar a sua vida junto aos demais; integrar, em um sério e compromissado empenho moral, todas aquelas partes, boas ou más, das quais não se orgulha e que provoca desconforto ao admiti-las; e, reelaborar aquilo que na realidade você não é, mas aquilo que tanto você como os outros pensam que você é, a sua persona.


Reorientar a vida, integrar as partes negativas e positivas que não aprova e reelaborar a persona é o caminho mais seguro para ser fiel aos valores pessoais e manter a disposição de sofrer as consequências sem desistir. Estes são os fundamentos de uma “Nova Ética”.


Nesta jornada há aqueles que se põem no processo como “vítimas inocentes” dos outros, da família, das circunstâncias, até de Deus; aqueles que realizam uma autoavaliação enganosa, porque se julgam através da visão idealista de “perfeição” que têm de si mesmos. Compreende-se porque muitos resistem, recusam a tomar a direção de ser e assumir quem se é.


Em outras palavras: para vivenciar os valores pessoais é preciso, em primeiro lugar, ter coragem para assumir o próprio mal; sondar as próprias entranhas; checar que as próprias estruturas se baseiam naquilo que mais combate como inimigo da humanidade – o mal.


Faz-se necessário expor esta condição, pois o fortalecimento dos valores coletivos sobre os pessoais tem provocado tantas perdas em nossas famílias e amigos, como aqueles que se suicidam, por exemplo, porque não encontram um espaço no qual podem ser acolhidas e a encontrarem o melhor caminho para os seus valores pessoais.


Viver os mais íntimos valores em um nível mais profundo de vida começa quando levamos a sério o mal interior como uma parte essencial que constitui nossos valores pessoais, segundo Erich Neumann, em seu Psicologia profunda e nova ética (São Paulo: Paulinas).


Se você quiser viver segundo os seus valores pessoais, conscientize-se do seu lado negativo, não tenha ilusões quanto à sua própria natureza, assuma a sua parte no mal que deseja corrigir nos outros, se disponha a vivenciar que esta jornada não é para tornar mais fácil a sua vida e, procure alguém que possa ajudar a você nesse processo.


(Sílvio Lopes Peres – Psic. Clínico – CRP 06/109971 – Candidato a Analista pela Associação Junguiana do Brasil (AJB/Campinas), membro da International Association for Analytical Psychology (Zurique/Suíça) - Fones: (14) 99805.1090 / (14) 98137.8535) 

Mais Editorial