Edio: 11893 Data: 03/12/2016

Notícias - Gara

EMCA traz hoje e amanhã espetáculo infantil “A menina que não gostava de ler”

03/12/2016 -


As apresentações não ultrapassam 40 minutos 

Hoje e amanhã, dando continuidade às apresentações de encerramento do ano, dos alunos da Escola Municipal de Cultura Artística, Amélio “Naná” Zancopé, apresenta o espetáculo infantil “A menina que não gostava de ler”. Serão quatro apresentações, sendo duas hoje (3) às 19 e 20 horas e duas amanhã (domingo – 4), às 17 e 18 horas. As apresentações acontecem no Teatro Municipal – Sala Miguel Mônico e os ingressos (para aqueles que não compraram antecipadamente) podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ao preço de cinco reais.

Conforme explicou a diretora da escola, Maria Rosa Trambaioli Machado, neste período a agenda fica “apertada”, visto que todos devem ter a oportunidade de passar pelo palco.

“Estamos agora com a agenda bastante apertada para o final de ano, uma vez que todos os alunos devem ter a sua oportunidade de passar pelo palco. Temos agora, neste sábado, duas sessões, e amanhã, domingo, tem a matinê, às 17 horas e uma apresentação às 18 horas. Todos estão convidados”, falou ela.

Segundo a diretora, “A menina que não gostava de ler” é um espetáculo infantil muito interessante, que vai trazer para o palco a literatura infantil. “Vale a pena conferir. Nós estamos com quatro sessões porque o elenco é grande. Um elenco que reúne 150 crianças, tem um número de familiares muito grande envolvido. Por isso nós precisamos realizar as quatro sessões para que a população em geral também possa assistir ”, disse Maria Rosa.

“A menina que não gostava de ler” trata-se da história de uma menina, filha de pais leitores, que mora numa casa que tem uma biblioteca considerável. No entanto, ela tem um gato, que é o grande amigo dela, e numa das brincadeiras do gato, cai um livro, abrindo numa página que desperta a atenção da menina.

A partir dali ela começa a se interessar pela literatura, e vai descobrindo todas as suas histórias de infância através deste pequeno incidente, através de um livro que cai aberto e chama a atenção da menina.

Segundo a diretora, a história é muito interessante e está muito bem contada, com bastante intervenção do teatro, fazendo a ligação entre uma cena e outra. Entre uma coreografia e outra.

“Está muito polido, muito bonito. O infantil realmente traz o encantamento do palco, não apenas as histórias, onde todos os personagens são encantados, mas o balé infantil sempre traz o encantamento próprio da idade, a pureza, a alegria”, frisou ela.

A diretora lembrou o trabalho realizado, salientando a preocupação com a parte teórica, no fato de contextualizar o aluno para que ele saiba qual a história que está contando através do movimento.

A diretora explicou que as apresentações não ultrapassam 40 minutos, uma vez que deve se considerar a resistência das crianças. 


Mais Notcias